Envie um e-mail:

abclink@abclink.com.br

Fale conosco:

11 3969-7876

Segunda a sexta

8:00h as 18:00h

Alinhada
aos seus objetivos

Conheça alguns dos nossos serviços


A equipe técnica da ABC Link está sempre atualizada para oferecer as melhores soluções tecnológicas aos nossos parceiros.

Segurança
01
Performance e disponibilidade
02
Agilidade
03

Noticias de T.I.


Planejamento Estratégico de TI

O planejamento estratégico de TI é o primeiro passo para fazer gestão de TI. Ele consiste em elaborar uma estratégia para o uso de tecnologia da informação em uma empresa, de modo que a tecnologia possa ser usada a favor do negócio e de seus clientes e vá ao encontro da estratégia da empresa. Para isso é preciso ter em mente duas perguntas:

-O que a organização espera da área de TI?

-O que a área de TI pode oferecer para a organização?

A partir dessas duas questões é que estruturamos, organizamos e sistematizamos a estratégia da TI, que funciona como um dos “braços” do planejamento estratégico corporativo. Fazer esse detalhamento com foco na TI é muito interessante porque proporciona transparência na comunicação, agilidade de negócio, crescimento organizacional e melhor distribuição de recursos.

O planejamento estratégico de TI normalmente visa: aproximar a TI do negócio, desenvolver a maturidade da TI e angariar recursos para a área. Para isso é preciso analisar o ambiente interno e externo e pensar em iniciativas e indicadores estratégicos. Entenda melhor essas etapas lendo nosso post sobre como fazer o plano estratégico de TI.

Importante: para construir o planejamento estratégico de TI você não precisa necessariamente ter o planejamento estratégico corporativo pronto. Mas precisa ter, pelo menos, uma noção do propósito da organização e dos objetivos a serem alcançados.

Preste atenção em alguns erros comuns no planejamento estratégico de TI:

  • Certifique-se de não detalhar a estratégia de forma exagerada;
  • Não confunda estratégia com operação;
  • Pare de adiar constantemente a elaboração do planejamento;
  • Cuidado para não pensar pequeno demais ou grande demais.
O que é Gestão da Tecnologia da Informação (Gestão de TI)?

Gestão da Tecnologia da Informação é a administração dos recursos tecnológicos utilizados no processo de tratamento da informação de uma entidade, instituição ou organização. Esse processo envolve coleta, armazenamento, processamento, seleção, comparação, distribuição e avaliação de dados, que serão convertidos em informações úteis para a tomada de decisão.

Com a Era da Informação as empresas têm à disposição um conjunto de ferramentas que permitem entender melhor o negócio e desenvolver produtos e serviços específicos para atender às necessidades dos clientes. A internet foi a responsável por acabar com as fronteiras do comércio mundial, quebrando barreiras geográficas existentes há séculos. Então, não estamos exagerando quando dizemos que a gestão de TI se tornou uma vantagem competitiva.

A gestão de TI é sustentada por 3 pilares: pessoas, processos e tecnologia. As pessoas participam do processo de tratamento da informação; os processos estruturam a área de TI; já a tecnologia dá suporte aos processos. Além disso, a gestão de TI inclui:

  • Manter o desempenho de serviços;
  • Promover a transformação digital na empresa;
  • Manter a satisfação dos usuários e clientes dos serviços;
  • Fazer a gestão da equipe de TI;
  • Gerenciar riscos que a TI pode causar ao negócio;
  • Dar suporte aos processos organizacionais;
  • Alinhar o uso da TI aos objetivos estratégicos da empresa.
Qual tipo de servidor devo escolher para a minha empresa?

O que são servidores?

Servidores são utilizados por empresas para armazenar os dados e informações do negócio e executar atividades, centralizados em um único local. Os servidores, além de possuírem grande capacidade de armazenamento, conferem uma camada de proteção às informações da empresa e auxiliam o controle sobre os processos da empresa, facilitando a gestão do negócio.

O que são servidores em nuvem pública?

O servidor em nuvem pública é um tipo de servidor que está localizado em um ou vários datacenters (ou seja, espaços destinados a concentrar equipamentos de processamento e armazenamento de dados, como roteadores, switches, firewalls, sistemas de armazenamento e servidores).

Os datacenters, além de outras funções, são utilizados para rodar aplicativos que podem ser acessados na nuvem. Dessa forma, as empresas que utilizam esse tipo de servidor em nuvem pagam pelo uso da nuvem e quais aplicativos querem acessar nela.

Mesmo que a máquina não seja sua, é possível acessar e usar tranquilamente os aplicativos online que estão nela, que podem ser: aplicativos web, sites, servidores de e-mails, sistemas de gestão online, entre outros.

Geralmente, empresas que utilizam os servidores em nuvem não desenvolvem suas próprias soluções. Elas têm seus produtos na nuvem, e geralmente são empresas de porte menor ou empresas que não tem uma necessidade grande de aplicativos próprios, e por isso, os utilizam na nuvem. Além disso, há a possibilidade de que a empresa possa fazer a locação de um ou mais aplicativos que estão em um datacenter (ou mais) ao redor do globo.

Vantagens x desvantagens

Essa modalidade de servidores em nuvem tem algumas vantagens, como: uma grande flexibilidade (a empresa pode mudar o processador, a memória RAM… como está tudo na nuvem, pode ser feito com maior facilidade), disponibilidade (está na internet) e preço baixo no início do uso.

Porém, não se engane: o preço baixo é só no início do uso. Os aplicativos mudam de preço com o tempo, e se tornam mais caros com o aumento do volume de dados. Além disso, o tráfego de internet é cobrado, consumo de disco é cobrado, o uso de processador e o tempo de máquina ligada também é cobrado.

O principal problema dos servidores em nuvem pública é que a empresa que o utiliza fica completamente dependente da internet para acessá-lo. Além disso, necessita de uma camada de segurança muito alta para manter todos os dados e informações da empresa em segurança.

Ademais, pode haver uma latência muito grande para acessar alguns dados, portanto, para algumas empresas, esse tipo de servidor não é eficiente. Por exemplo, empresas que não podem ter latência no acesso às informações e necessitam de rápido acesso (ou seja, são recomendadas a utilizarem servidores físicos): telefonia, call centers, faculdades, hospitais, entre outros.

O que são servidores em nuvem privada?

Para acomodar um servidor, é preciso ter uma infraestrutura adequada, além de que, para manter um servidor com o funcionamento ideal, é preciso investir em consumo de energia, internet, nobreaks, geradores, redundância, backups, links de contingência… Por isso, muitas empresas alugam espaços em datacenters para colocar seu servidor ou utilizar os servidores deles.

Esses servidores, portanto, são os servidores em nuvem dedicados, pois essa é uma “nuvem privada”. Geralmente, as empresas que utilizam esses servidores são empresas que desenvolvem sua própria solução, e utilizam a infraestrutura do datacenter.

Servidores dedicados e não dedicados

Os servidores dedicados são aqueles que são da própria empresa e contém apenas os seus dados (um único datacenter, real ou na nuvem). Já os servidores não dedicados, estão hospedados em um ambiente compartilhado com outras empresas.

Servidores físicos

Toda empresa cujo serviço e atividade necessitam que sejam feitos localmente, utilizam servidores físicos, por exemplo: faculdades, call centers, escritórios de cobrança, grandes escritórios, indústrias, telecomunicações.

Vantagens x desvantagens

Uma das vantagens desses servidores é que eles têm custo fixo, ou seja, o investimento é feito de uma só vez. Além disso, os custos de peças e manutenção são baratos. Os custos locais são poucos e a empresa tem total controle e privacidade sobre seus dados e informações, seja na própria empresa ou no datacenter.

Dessa forma, a empresa tem poder e acesso sobre a sua máquina. Confira outras grandes vantagens dos servidores físicos:

  • centralização das informações e organização dos dados, de forma que você consegue ter rápido e fácil acesso, contribuindo para a agilidade e produtividade do seu negócio;
  • segurança e proteção total sobre todas as informações e dados que estão no servidor
  • contribuição para a gestão de TI da empresa, através do monitoramento, instalação de novos programas, adição de novos usuários nas redes, tudo com mais praticidade e agilidade.